"Senhor, a quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna". Jo√£o 6, 68














 
                    

Sabado, dia 02 de Julho de 2011

S. João Francisco Régis, presbítero, +1640

image Saber mais sobre os Santos do dia


Numa Fran√ßa que acabava de sair das ru√≠nas provocadas pelas guerras de religi√£o que haviam ensanguentado o final do s√©culo XVI, S√£o Jo√£o Francisco R√©gis surgiu como um homem providencial, chamado por Deus a dar nova for√ßa e coragem a um inteiro povo deixado de parte e abandonado a si mesmo. Quando a situa√ß√£o nos campos e nas cidades das regi√Ķes de Vivarais e de Velay era verdadeiramente desastrosa, Jo√£o Francisco partiu pelos caminhos √† procura da ovelha tresmalhada. Mediante a simplicidade da sua palavra e uma caridade ilimitada, sensibilizava o cora√ß√£o dos pequeninos e dos humildes para os elevar ao amor de Deus e os guiar na sequela de Cristo. O seu minist√©rio de pregador e de confessor tornou-se rapidamente renomado. Ele sabia levar a paz √†s almas e √†s cidades, a reconcilia√ß√£o √†s fam√≠lias, convencido do poder das palavras de Cristo: ¬ęDou-vos a minha paz. A paz que vos dou n√£o √© a paz que o mundo d√°¬Ľ (Jo 14, 27).



A sua ac√ß√£o arraigava-se na espiritualidade de Santo In√°cio de Loiola. Com efeito, membro da Companhia de Jesus, sabia que sem uma entrega total de si √† vontade divina, o ser humano, o fiel, o sacerdote n√£o pode ter qualquer efic√°cia concreta: ¬ęSem mim n√£o podeis fazer nada¬Ľ, diz Jesus Cristo (Jo 15, 5). Eis por que durante toda a sua vida procurou p√īr em pr√°tica os conselhos evang√©licos e cultivou ao mais alto n√≠vel a disponibilidade √† ac√ß√£o da Provid√™ncia e a humildade do servidor nas prova√ß√Ķes da sua corajosa vida mission√°ria.



Hoje ainda e mais que nunca, tais disposi√ß√Ķes constituem um modelo preeminente para todos os que querem seguir as pegadas do Senhor e confiar-Lhe a pr√≥pria vida para que Ele fa√ßa dela uma oferenda ao louvor da Sua gl√≥ria (cf. Ef 1, 6). A pacifica√ß√£o dos cora√ß√Ķes e das sociedades parecia como uma das miss√Ķes essenciais do fim do s√©culo XX. Perante uma certa perda de pontos de refer√™ncia, √© importante evocar a luminosa verdade do Evangelho. Assim como Jo√£o Francisco R√©gis soube faz√™-lo na sua √©poca, os fi√©is do nosso tempo s√£o convidados a entregar-se a Deus numa confian√ßa total para serem, entre eles e ¬ęentre todos os povos da terra¬Ľ (Dt 7, 6), testemunhas alegres e generosas da Boa Nova da salva√ß√£o oferecida a todos os homens.



Jo√£o Paulo II




 
©Evangelizo.org 2001-2017